Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Celso Sacavém

Os meus pensamentos

Os meus pensamentos

Pensamentos

     

                       0 Superbia_(mosaic,_Basilique_Notre-Dame_de_Fourvi      

                                                       O Orgulho   (1)                                         

 
 
 
 

 

                                                 Não permitas que o

                                                        ORGULHO

                              Ultrapasse o valor que tu tanto aprecias: a

                                                      HUMILDADE.

 

 

 

                          0 Madonna-of-humility-_1433_Domenico_di_Bartolo.jp

                                    A Madonna da Humildade   (2) 

 

 

 

 

(1) - O Orgulho  

https://en.wikipedia.org/wiki/Pride#/media/File:Pride,_Jacob_Matham.png

O Orgulho, entre Os Sete Pecados Mortais por Jacob Matham (1592) no Museu de Arte de Bayly.

http://www.lib.virginia.edu/artsandmedia/dic/bayly/women/docs/wall06a.big.html

 

 

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Jacob_Matham

Jacob Matham (1571-1631) foi um famoso gravador e desenhador de Haarlem.

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Pride#/media/File:Superbia_(mosaic,_Basilique_Notre-Dame_de_Fourvi%C3%A8re).jpg

Superbia - em latim significa "Orgulho", usado geralmente no sentido pejorativo (mosaico na Basílica de Notre-Dame de Fourvière). Fotografia de Rartat.

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Orgulho

Orgulho

 

Orgulho é um sentimento de satisfação pela capacidade ou realização ou um sentimento elevado de dignidade pessoal. Em Português a palavra Orgulho pode ser vista tanto como uma atitude positiva (Honra) como negativa (Arrogância), dependendo das circunstâncias. Assim, o termo "pode" ser empregado de maneira errada tanto como sinónimo de soberba e arrogância (ideológica) quanto para indicar dignidade ou brio de um "estado"

Algumas pessoas consideram que o orgulho para com os próprios feitos é um ato de justiça para consigo mesmo, como reconhecimento. Ele deve existir, como forma de elogiar a si próprio, dando forças para evoluir e conseguir uma evolução individual, rumo a um projeto de vida mais amplo e melhor. O orgulho em excesso pode se transformar em vaidade, ostentação, soberba o que segundo as religiões e os teólogos consideram levando ao chamado egoísmo, sendo visto apenas então como uma emoção negativa: a Arrogância se não o for patrulhado com Sabedoria. 

Outras pessoas classificam o orgulho como exagerado quando se torna um tipo de satisfação incondicional ou quando os próprios valores são superestimados, acreditando ser melhor ou mais importante do que os outros. Isso se aplica tanto a si próprio quanto ao próximo, embora socialmente uma pessoa que tenha orgulho pelos outros é geralmente vista no sentido da realização e é associada como uma atitude altruísta, enquanto o orgulho por si mesmo costuma ser associado ao sentimento de capacidade e egoísmo.

 

Religião

Para o Cristianismo, o orgulho, conhecido como Soberba, é um dos Sete pecados capitais sendo o conceito transposto na forma positiva apenas, como Honra, no conceito do Médico Militar da Primeira Guerra Mundial Sigmund Freud. 

Para o pensador A. Lisounenko, o orgulho ou honra - própria é um factor determinante na caminhada para o sucesso no âmbito familiar e profissional. Não é errado você se admirar e demonstrar publicamente este sentimento e se sentir honrado. O orgulho na forma negativa para muitos é um sentimento de fraqueza, de necessidade de auto afirmação, o que para Lisounenko está errado no conceito. Lisounenko diz que o orgulho é a confirmação natural dos nossos sentimentos, das nossas conquistas e alegrias, ou seja, um sentimento positivo e bom, para consigo e com o próximo se bem conceituado.

 

 

 

 

 

 

 

 

(1) A Madonna da Humildade 

https://en.wikipedia.org/wiki/Humility#/media/File:Madonna-of-humility-_1433_Domenico_di_Bartolo.jpg

A Madonna da humildade de Domenico di Bartolo expressa a dualidade entre a mulher terrena com humildade e a dignidade divina de uma rainha. 

http://www.aiwaz.net/panopticon/madonna-of-humility/gi648c103

 

 

https:/pt.wikipedia.org/wiki/Domenico_di_Bartolo

Domenico di Bartolo (1400/1404 – 1445/1447) foi um pintor italiano da escola sienesa.

Nasceu em Asciano e, de acordo com Giorgio Vasari, era sobrinho de Taddeo di Bartolo. Foi empregado por Vecchietta na elaboração da obra-prima O Cuidado com os Doentes, na Pellegrinaio do Ospedale di Santa Maria della Scala, em Siena. (...) Em 1434, ele também pintou o afresco do painel Emperador Sigismund Entronado para a Catedral de Siena. (...) Suas obras podem ser encontradas na Galeria Nacional de Arte em Washington, na Pinacoteca Nazionale (Siena), Galleria Nazionale dell'Umbria e no Museu de Arte da Filadélfia.

 

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Humildade 

A Humildade

 

Humildade vem do latim humilitas, e é a virtude que consiste em conhecer as suas próprias limitações e fraquezas e agir de acordo com essa consciência. Refere-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas. A Humildade é considerada pela maioria das pessoas como a virtude que dá o sentimento exato do nosso bom senso ao nos avaliarmos em relação às outras pessoas. Características como cordialidade, respeito, simplicidade e honestidade, embora sejam frequentemente associadas à humildade, são independentes. Portanto, quem as possui não precisa necessariamente ser humilde. 

Muito confundida com a Modéstia, sendo esta o sentimento de velar-se quanto às qualidades intelectuais e morais (em oposição a um exibicionismo vaidoso).

Diz-se que a humildade é uma virtude de quem é humilde; quem se vangloria mostra simplesmente que humildade lhe falta. É nessa posição que talvez se situe a humilde confissão de Albert Einstein quando reconhece que “por detrás da matéria há algo de inexplicável”. 

Uma das caraterísticas de Jesus Cristo foi a humildade, pois a Bíblia diz que Ele "sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz" (Filipenses 2:6-8). 

As religiões tendem a associar a humildade ao reconhecimento da superioridade divina. Todos os seres humanos são iguais aos olhos de Deus, devendo agir e comportar-se como tal. Porem somente a religião, não define o assunto humildade ou o que é ser humilde.

Para o budismo, a humildade é a consciência que se tem do caminho a levar para se libertar do sofrimento.

Do ponto de vista da filosofia, Immanuel Kant afirma que a humildade é a virtude central da vida, uma vez que dá uma perspectiva apropriada da moral.

Para Friedrich Nietzsche, em contrapartida, a humildade é uma falsa virtude que dissimula as desilusões que uma pessoa esconde dentro de si.

Walber Luidhy afirma que " Nossa humildade é testada todos os dias, a partir de nossas atitudes e ações".

Para além das diferenças em termos de conceito, as pessoas partilham da mesma visão sobre a humildade como sendo a característica que levam as pessoas a realizarem uma acção sem proclamar os seus resultados. Suponhamos, por exemplo, que um homem joga bem futebol e que é humilde, este não deverá apresentar-se aos outros na qualidade de “melhor jogador” nem como sendo “o jogador que sempre marcou a diferença graças ao seu talento”. 

Humildade também não significa ter de se rebaixar para as outras pessoas, mas sim reconhecer ou admitir as suas falhas.

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D